Sara Santos28 Jan 2020

artigos de ouro e prata

Ouro - Saiba como identificar se é verdadeiro

Truques para não ser enganado a comprar ouro em Portugal

O ouro sempre foi considerado símbolo de poder e uma mais valia para a economia nacional, uma vez que pode ser uma salvaguarda para o mesmo em caso de crise económica. O ouro português acaba por ganhar toda essa importância, uma vez que é em Portugal que existe uma das maiores reservas do mundo. Durante vários anos, o ser humano valorizou imenso o seu uso, onde de geração em geração existia o hábito de o adquirir, guardar e deixar a herança aos membros da família. Hoje em dia, a ourivesaria consegue oferecer uma escolha variada de ouro português. No entanto, existe uma certa dificuldade na sua identificação devido à existência de muitos artigos de ouro e prata falsos. Descobre como podes tornar mais fácil a identificação de ouro português e tira todas as dúvidas das tuas jóias. 

Sobre ouro 

O ouro presente nas jóias não é todo igual sendo o seu valor calculado de acordo com a percentagem pura de metal presente em cada peça, onde um quilate de ouro é o total do seu peso dividido por 24. Esta substância pura pode ser fundida com outro tipo de metais sem perder as suas caraterísticas. Desta forma, as várias peças são construídas em metal precioso, ou seja, com ouro, mas ligadas com outros metais. Os metais mais usados são a prata e o cobre. Essa liga fará com que o artigo fique mais robusto e é onde lhe é dada também a sua cor. Um termo também muito utilizado é o toque do ouro, que corresponde à quantidade presente na liga. Assim, sempre que te dirigires a uma ourivesaria para comprar determinado artigo é importante informares-te sobre o “toque do ouro” da respetiva peça. Por sua vez, o chamado “ouro de lei” não é mais do que a forma de se chamar o toque de ouro. Assim, qualquer objeto nunca pode ser efetuado em ouro de lei, uma vez que tem sempre um determinado toque como: 24 quilates, 22 quilates, ou 9 quilates de ouro.  

Ouro português e a prata 

É muito importante prestar atenção às marcas presentes em artigos de ouro e prata. Para isso existe a chamada Contrastaria Portuguesa (Imprensa Nacional da Casa da Moeda) que é uma entidade responsável por efetuar a devida marcação de peças fabricadas com ligas de metais preciosos. Ao olhar bem para um objeto irá perceber que existem marcas que são parecidas com dois quadrados simples bastante pequenos e com pouco relevo. Ao observar através de uma lupa conseguirá visualizar que essas figuras são símbolos marcados pela Contrastaria Portuguesa para identificar ouro português. Por sua vez essas marcas podem ser feitas de duas formas: 

·        Marca de punção de responsabilidade: esta é colocada pelo próprio fabricante da loja. É representada através de uma gravura com um desenho privado, que inclui a inicial do nome próprio e os apelidos da empresa que produziu. 
·        Marca de punção da contrastaria ou marca de punção de toque: é inserido pela Contrastaria Portuguesa, onde são assinalados o tipo de metal e a percentagem utilizada na peça bem como, a identificação da Contrastaria caso seja do Porto ou Lisboa. 
 
Formas de identificar

Por norma, o ouro falso possui menos do que 10 quilates de ouro. É imprescindível em caso de dúvidas dirigires-te a uma ourivesaria para descobrir a veracidade do material que tens em tua posse. Nesse sentido deves:

·        Realizar uma observação atenta 

Numa primeira fase é essencial verificar se o material é realmente verdadeiro, pois por algumas caraterísticas pode manifestar-se como falso. Deves observar bem se existem marcas oficiais na peça, como uma contrastaria que indica a pureza do mesmo (caso seja de 10 quilates, 14 quilates, 18 quilates, 22 quilates ou até mesmo 24 quilates). Tudo o que tenha menos de 10 quilates de ouro não é considerado ouro verdadeiro. No entanto, algumas peças podem já ter um certo desgaste e não terem uma marca visível daí ser muito importante uma observação cuidada pois peças falsas podem conter uma marca que parece autêntica sendo necessário a realização de mais testes para comprovar a sua veracidade. 

·        Morder a peça 

Pode parecer estranho, mas é uma atitude que de certeza já visualizaste em algum filme ou até mesmo quando um atleta morde a sua medalha. Podes morde-lo com uma pressão moderada e de seguida observar atentamente as marcas deixadas na peça. Por norma, o ouro real mostrará marcas de dentes, já o puro apresenta marcas mais profundas. No entanto, não é muito recomendável que faças este teste pois podes danificar os teus dentes. 

·        Verificar com ácido Nítrico 

Este tipo de teste é considerado um dos melhores, mas não se revela de fácil acesso devido às dificuldades em adquirir ácido, mas também aos riscos de segurança que pode acarretar devido à sua utilização. Recomenda-se que o mesmo seja efetuado por um profissional de joalharia. 

·        Testar através de um íman 

Pode ser possível identificar ouro português recorrendo a um íman, mas não é algo garantido. Um íman mais forte pode ser útil, basta posiciona-lo em cima da peça. O ouro não é magnético, por isso se for atraído por um íman é falso.


Depois de toda esta informação é importante saber como funciona toda a identificação de ouro português para ficares realmente a saber se é ou não é falso. Existe ainda quem faça um bom investimento nesse elemento seja como uma obra de arte, símbolo de riqueza ou segurança para o futuro, uma vez que estes artigos acabam por ser uma boa aposta. 

categorias relacionadas
sobre o autor
Sara Santos

ver perfil
32
Publicações
Dicas relacionadas