Mara Domingues29 Jan 2020

Onde a amizade se celebra ao som da música

Dança, celebra e diverte-te com os teus amigos

Durante aquelas horas nada mais nos importa, a não ser, libertarmo-nos das chatices do dia a dia e comemorar!
 
Para muitos (e possivelmente tu és um deles) a experiência de sair para dançar começou nas matinés ou nas festas de garagem.  Há todo um ritual que todos temos ou tivemos de passar até chegarmos aos nossos spots, onde nos sentimos em casa a receber os amigos.
 
Discotecas para todas gerações 
 
Temos as discotecas míticas que foram sendo frequentadas por várias gerações. 
 Discotecas que foram passando de país para filhos, como se fosse uma tradição. Mesmo que te custe imaginar - sim, os teus pais já foram jovens e também saíam à noite como tu.  E sim, nessa altura já existiam espaços próprios para dar um pézinho de dança.
  
Depois, existem as novidades que vão surgindo constantemente. O facto deste tipo de espaço não sair de moda e de surgirem conceitos novos, reafirma a importância das discotecas para o equilíbrio das pessoas. 
É fundamental que cada um encontre o seu ponto de fuga para descomprimir dos problemas e se divirta. Para muitos o divertimento passa por dançar até cansar ou apenas escutar a música enquanto se bate o compasso com o pé.
  
Ainda podes encontrar as que sobreviveram a todas as mudanças e se adaptaram a novos estilos e clientes, consoante foram ditando, as tendências.
 
Por último, tens as que são como um espaço sagrado do estilo de quem as frequenta, como se de um templo se tratasse. São imunes a todas as modas, não seguem o último grito da música e não estão interessados em descobrir novos estilos. E quem as frequenta, fá-lo, exatamente por estes motivos. Sabem o que vão encontrar quando entrarem, têm a certeza que vão escutar as suas músicas e reencontrar as caras familiares.
 
 Discotecas para todos os estilos
 
Do Rock, ao Tira o pé do chão. Do Tecno ao Baile Funk. Dos estilos latinos, ao pop. Dos ritmos africanos ao hip hop
A variedade é tão grande, que podes escolher um estilo música diferente todas as semanas, consoante o teu estado de espírito.
 
Em Lisboa encontras desde 2013 a Discoteca Mwangolé, com os ritmos quentes de Angola a fervilhar.  
Ou a Emotion Discoteca, em Torres Novas, que organiza regularmente as noites Remember. . .Good Times. Aqui poderás recordar os grandes sucessos dos anos 70, 80 e 90. 
As alternativas são mais que muitas, mas o objetivo é comum a todas as discotecas. Que as pessoas se divirtam, que descontraiam e aproveitem o melhor da vida.
 
Discotecas que nascem em locais peculiares
 
Muitas discotecas, foram criadas em estruturas antigas, como armazéns portuários, e adaptados para criarem um ambiente descontraído, leve e jovem. Desta forma, muitas discotecas promoveram e revitalizaram zonas das cidades que há muito estavam esquecidas e abandonadas.
 
Outras surgem em locais, onde já mais imaginaríamos que poderia nascer uma discoteca. Como por exemplo a discoteca Pedra do Couto, em Santo Tirso, criada em 1983. Hoje em dia divide-se por dois pisos, um deles com restaurante, no entanto neste mesmo local estava anteriormente uma casa de lavoura.
Ou ainda como a discoteca que encontras dentro do Forte de São João, em Vila do Conde, datado do século XVII.
 
O ritual de sair à noite
 
A saída para uma discoteca, seja para dançar ou só para bater o pézinho ao som das batidas, muitas vezes começa com um jantar antes, como se fosse um ritual. Este hábito que perdura até aos dias de hoje foi passando de geração para geração, como se carimbasse a passagem da infância para a juventude.
 
As primeiras saídas não se esquecem. Os amigos que nos acompanharam, que na maioria dos casos eram tão novatos quanto nós, os hits da altura. A aventura de vir no comboio, tarde e más horas ou de tentar apanhar um táxi. Tudo naquelas noites ganhava uma dimensão gigante, como se estivéssemos a viver a experiência mais fantástica da nossa vida. 
 
E se pensarmos bem, pode não ter sido a mais fantástica que já experienciámos, mas que foram memoráveis, não há dúvida.
 
Criar uma rede de contactos interessante
 
Estes espaços noturnos, também tem muitas vezes um papel fundamental na criação ou incremento da nossa rede de contactos. Se selecionares o tipo de discoteca que mais te interessa, terás a oportunidade de conhecer muitas pessoas interessantes, com quem poderás criar novas parcerias. O ambiente descontraído promove o à-vontade necessário para que as pessoas baixem as suas barreiras e possam trocar ideias. Muitos negócios se fecham num brinde ao som de uma boa batida.
 
Para os mais românticos, as discotecas podem ser o local certo para o cupido disparar. Mesmo no meio da confusão, da música alta e do jogo de luzes é possível, encontrar o amor e conhecer alguém interessante com quem poderás partilhar experiências.
 
Muitas verdades e sonhos são partilhados à porta de uma discoteca, no final da noite.
categorias relacionadas
sobre o autor
Mara Domingues
Redação e criação de conteúdos

O meu nome é Mara, muitas vezes confundido com Maria, Marta ou até mesmo Lara.
E onde entra a escrita na minha vida?...

ver perfil
62
Publicações
Experiência relacionadas