Luísa Santos29 Jan 2020

Ser bombeiro: tudo sobre esta profissão

O que é preciso para ser bombeiro?

Ser bombeiro é uma das profissões mais exigentes atualmente. Dentro da mesma, existem diversas designações, nomeadamente a de voluntário e a de sapador. Afinal, o que é que os distingue? O que é que implica ser bombeiro? Quais são os requisitos? Fica a saber tudo neste artigo.

o que significa ser bombeiro?

Antes de mais, ser bombeiro significa, de facto, arriscar a vida todos os dias. Para além de aptidão física, é necessário ter uma capacidade psicológica e emocional acima da média, componente que muitas pessoas descuram na maior parte das vezes.

Ser bombeiro não passa só por combater incêndios. Há uma série de outras atividades associadas à profissão e que exigem uma disponibilidade total. Os bombeiros resgatam pessoas de situações graves (como acidentes), fazem parte de investigações e participam na consciencialização da população em relação a medidas de segurança a adotar. Mas há mais:

  • Cooperação com a proteção civil quando seja necessário;
  • Participar em salvamentos e investigações em qualquer contexto;
  • Participar em reconstituições de incêndios;
  • Socorrer pessoas em situações graves (como inundações, incêndios, catástrofes, desabamentos, entre outros);
  • Fiscalizar o cumprimento das leis relacionadas com a prevenção de incêndios (em estabelecimentos comerciais, por exemplo).

Corporações de bombeiros
As corporações de bombeiros são, no fundo, conjuntos que se espalham pelo país que, atualmente, reune centenas desses grupos. Geralmente, são as corporações que identificam o tipo de serviço que prestam, assim como listam todos os equipamentos de que dispõem.

Estes conjuntos podem incluir bombeiros voluntários, que não são pagos pelo serviço que prestam, e/ou bombeiros sapadores (também conhecidos como bombeiros municipais) - profissionais pagos pelo trabalho que desempenham, muitas vezes associados à Proteção Civil.

Estas corporações distribuem-se pelo país consoante o distrito e são obrigadas a comunicar determinadas informações, que são de consulta pública e útil para dar resposta a eventuais ocorrências, das quais se destacam:

  • Sede de concelho;
  • Morada;
  • Contactos (morada, email e website);
  • Distrito;
  • Número de habitantes;
  • CDOS (Comando Distrital de Operações de Socorro);
  • Tipificação;
  • Ano de fundação;
  • Salvamentos em Grand Ângulo;
  • Número de bombeiros;
  • Veículos (número e identificação);
  • Embarcações;
  • Fanfarra;
  • Mergulhadores;
  • Área operacional (em km2).

É de acordo com estes e outros dados que cada corporação informa a população acerca da sua forma de atuar. É através destas informações que cada conjunto clarifica a população do concelho sobre os meios de que dispõe e sobre a área em que atua.

Assim se divide a forma de trabalha dos bombeiros portugueses que, se se encontrarem noutra sede de concelho, indicam às pessoas necessitadas para contactar a corporação indicada para dar resposta naquela área.

bombeiro.jpg


O que é preciso para ser bombeiro
Se estás interessado em ser bombeiro, ou conheces alguém que queira assumir essa profissão, o mais aconselhado é que, o indivíduo em causa, entre em contacto direto com a corporação na qual está interessado em fazer parte. 

Em todo o caso, há vários escalões dentro desta profissão, que pode ser iniciada a partir dos 6 anos em escolhas de infantes e cadetes. Estes, por sua vez, não podem exercer a atividade propriamente dita:

  • Recrutamento de Infantes: para idades compreendidas entre os 6 e os 16 anos;
  • Recrutamento de Cadetes: para idades compreendidas entre os 16 e os 18 anos.

A Carreira de Bombeiro está reservada para os maiores de 18 anos (e até aos 45 anos). Os interessados devem candidatar-se à fase de recrutamento de bombeiro voluntário, sendo submetidos a estágios específicos - dos quais são obrigados a "sair" aprovados. Cada estágio tem a duração mínima de um ano.

Acima da última, encontra-se a Carreira de Oficial Bombeiro, dos quais os estagiários (compreendidos entre os 20 e os 45 anos de idade) têm de ser aprovados em estágio e estar habilitados com bacharelato ou licenciatura adequadas.

O Curso de Instrução Inicial de Bombeiro é, por isso, obrigatório em qualquer das circunstâncias e funciona como uma espécie de formação especializada, teórica e prática, que prepara os estudantes para as adversidades que têm de enfrentar enquanto bombeiros.

Este curso tem a duração de 350 horas e é dividido em 6 módulos, segmentado em diferentes áreas. Alguns dos temas abordados relacionam-se com o socorrismo, técnicas de salvamento e desencarceramento e operações de extinção de incêndios florestais.

De bombeiro voluntário a profissional
Quem tem como objetivo tornar-se bombeiro profissional tem de, obrigatoriamente, desempenhar funções enquanto voluntário nos primeiros anos. As condições de eleição são muito específicas e variam de corporação para corporação, pelo que não é garantido que todos consigam alcançar esse estatuto.

Isto acontece porque é enquanto bombeiro voluntário que a pessoa em questão contacta com todas as implicações desta profissão, nomeadamente a obrigatoriedade de cumprir a lei, o estatuto e regulamentos, entre outras normas.

O bombeiro voluntário tem de defender o interesse público e cumprir as regras de higiene e segurança, bem como as de natureza operacional. É nessa altura que compreende quem são os seus superiores e a quem deve obedecer, garantindo sempre que os seus conhecimentos técnicos estão atualizados.

Os bombeiros voluntários beneficiam de regime próprio de Segurança Social, seguro de acidentes pessoais, vigilância médica periódica, entre outros direitos. Podem receber indemnizações, subsídios e pensões em caso de acidente enquanto estão em serviço ou de doença contraída durante o exercício de funções.
Categorias Relacionadas
sobre o autor
Luísa Santos
Content Writer

A paixão pelas palavras acompanha-a desde sempre e a curiosidade por aquilo que não sabe leva-a a verbalizar todas as...

ver perfil
61
Publicações
Experiência relacionadas