Luísa Santos28 Jan 2020

formação profissional

escolas técnico profissionais

escolas de música

escolas de hotelaria e turismo

escolas de culinária

escolas de cinema

ensino secundário

ensino básico

Ensino Normal ou Profissional: qual escolher?

Ainda há muitas dúvidas sobre que Ensino escolher.

Apesar de coexistirem há décadas, ainda são algumas as dúvidas que existem no que toca às diferenças entre o Ensino Normal e o Profissional. No fundo, importa saber o porquê de cada um existir da forma que existe e quais as especificidades associadas.

Ensino normal ou profissional: qual escolher?

Esta é a pergunta que impera depois de um aluno terminar o ensino básico. Ainda que também exista a possibilidade de enveredar por um percurso profissional já nesse Ensino, a verdade é que isso raramente acontece - sobretudo quando comparado com as escolhas que acontecem a partir do 10º ano de escolaridade.

O Ensino Normal é popularmente conhecido como ensino secundário e é aquele que mais adesão tem no panorama nacional. Mas, se formos totalmente francos, são muitos os casos que nem ponderam o Ensino Profissional por falta de conhecimento das especificidades do mesmo.

É, por isso, fulcral esclarecer aquilo que opõe ambas as formas de ensinar, que são totalmente válidas e legais, principalmente no que toca à procura de emprego futuro. Contudo, as suas características são obviamente opostas.

Ensino Normal
O Ensino Normal é aquele mais comum no nosso país. A maior parte das crianças, quando termina o 9º ano, opta por transitar para o Ensino Secundário sob a mesma forma de Ensino propriamente dito. O Ensino Secundário divide-se em dois grandes pólos:

  • Ensino Público: de uma forma simples, este é o tipo de ensino que "pertence" ao Estado, isto é, que é pago pelos impostos de todos os contribuintes. Por outras palavras, isto significa que não existe um pagamento de mensalidades para manter uma criança/adolescente a estudar numa escola pública. Regra geral, também os livros de cada disciplina são oferecidos aos alunos;
  • Ensino Privado: por oposição, o Ensino Privado exige o pagamento de uma mensalidade para que um aluno possa lá estudar. As escolas privadas são conhecidas por serem mais exigentes e por oferecerem maior gama de atividades extracurriculares.

As escolas, públicas ou privadas, onde se pode enveredar pelo popular Ensino Secundário estão espalhadas por todo o país, pelo que tudo o que exigem é uma inscrição antes de cada ano letivo. Ora, este é um tipo de ensino muito mais global, isto é, que leciona todas as disciplinas obrigatórias a cada curso. Esses Cursos Científico-Humanísticos subdividem-se em quatro tipos, de acordo com o estipulado pela Direção-Geral de Educação (DGE):


Todos dispõem de formação geral, específica e facultativa, sendo esta última a única que cada aluno pode escolher para enriquecer o seu percurso. Normalmente, a(s) disciplina(s) escolhida(s) vai de encontro com o gosto pessoal de cada um, pelo que esta é a única hipótese de escolha que existe após a escolha do curso pelo qual enveredar a partir do 10º ano.

adolescentes-a-estudar.jpg


Ensino Profissional
Os cursos de formação profissional estão igualmente previstos pela DGE, sob a tutela da Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional (ANQEP) - o que comprova não só a sua legalidade, como o facto de constituir uma opção para o Ensino Secundário "normal". A formação profissional é a mais indicada para aqueles alunos que têm a certeza daquela que será a sua carreia futura.

Pode parecer confuso, mas a verdade é que a sua explicação é simples: este tipo de cursos, lecionados por escolas técnico-profissionais , concentram-se numa só área de estudo - aquela que cada aluno tem a certeza que quer seguir e para a qual tem maior vocação.

Os cursos mais famosos são os lecionados pelas escolas de escolas de hotelaria e turismo, escolas de culinária, escolas de cinema e escolas de música  - ainda que haja uma série de outras opções, sobretudo na área da informática.

Estas escolas profissionais também se dividem, importa dizer, em públicas e privadas, ainda que seja nestas últimas que os alunos se dizem sentir mais preparados para o mercado de trabalho. Na verdade, esta é uma das grandes vantagens deste género de Ensino, uma vez que foca a sua atenção num tipo de ensino muito específico, focado numa só área - e, sobretudo, muito prático.

Ensino Normal Vs. Profissional: as diferenças

As principais diferenças que separam estes dois ensinos assentam em questões muito práticas, nomeadamente no que diz respeito à teoria e à prática de cada curso lecionado. Há, por isso, algumas questões relevantes a reter:

  • O Ensino Profissional tem uma componente muito mais prática do que o Normal;
  • O Ensino Normal distribui a sua oferta por diferentes disciplinas, oferecendo as respetivas mais-valias de cada área aos alunos;
  • O Ensino Profissional prepara melhor os alunos que têm a certeza do percurso que querem seguir, independentemente de quererem dar continuidade ao mesmo no Ensino Superior ou não;
  • Estatisticamente falando, a taxa de empregabilidade é maior para aqueles que se formam no Ensino Profissional.

Na hora da escolha, tudo depende daquilo que cada pessoa quer seguir, ou seja, daquilo que ela mais gosta e pelo qual sente maior interesse. As áreas mais procuradas no Ensino Profissional são as Ciências Informáticas, a Hotelaria e Restauração, os Audiovisuais e Produção dos Media, Turismo e Lazer e, por fim, o Comércio.

O Ensino Normal é, por sua vez, a escolha ideal para aquelas pessoas que ainda estão a descobrir a área de que mais gostam, pelo que estão no sítio ideal para o perceberem.
Categorias Relacionadas
sobre o autor
Luísa Santos
Content Writer

A paixão pelas palavras acompanha-a desde sempre e a curiosidade por aquilo que não sabe leva-a a verbalizar todas as...

ver perfil
61
Publicações
Experiência relacionadas