Mara Domingues29 Jan 2020

A solução para os problemas financeiros

A solução para quem tem despesas maiores que receitas

Despesas maiores que receitas

Existem momentos na vida em que a soma das despesas é demasiado elevada para o dinheiro que temos na carteira ou no banco.
A sensação não é das melhores e perdemos noites a pensar, como é que vamos pagar estas contas.
Nem sempre é possível pedir um empréstimo e os amigos e a família também não estão numa fase endinheirada.
Existe uma solução imediata para este problema. E sem precisares de vender um órgão. 
As casas de penhores!
 
Necessidade de um investimento
 
Há quem recorra a este tipo de empréstimo, não pela necessidade de liquidar despesas urgentes, mas no sentido de obter um fundo de investimento. Precisas de um determinado valor para avançar com um negócio ou para investir em algo imediato. O método de funcionamento das casas de penhores, permite-te obteres o dinheiro de uma forma rápida e sem estares dependentes de uma avaliação. Essa avaliação quem a tem fazer, és tu. Deves ter a noção se conseguirás cumprir com as tuas obrigações e pagares as mensalidades sem incorreres em incumprimento. 
 
Caixinha das jóias
 
As casas de penhores, como a Prestiviseu Penhores, podem ajudar-te. Procura na caixa de jóias, peças em ouro, prata ou platina. Não importa se são anéis, colares ou brincos. O que interessa é que tenham algum valor e por isso é que bijuteria feita apenas de metal, não entram no negócio . Relógios de ouro ou de marcas com prestigio também são aceites.
 
Obras de arte
 
Muitos penhores aceitam outras peças, para além de jóias ou relojoaria. O principio é o mesmo, têm de ser compostas por algum material nobre. Canetas ou faqueiros em ouro, quadros ou peças decorativas desde que tenham valor, podem ser penhoradas.
 
Peças de valor sentimental

Evita ao máximo, penhorar peças que tenham um grande valor sentimental. Mesmo que monetariamente representem uma grande fatia do valor que necessitas. 
Jóias ou recordações que passaram de geração em geração e que tu gostarias de passar aos teus filhos, deves igualmente evitar de dar como moeda de troca.
Mesmo que seja reduzida, há uma hipótese, de poderes ficar sem a peça.

Tens de imaginar, o pior cenário possível. Não consegues pagar três mensalidades seguidas. A peça vai ser vendida e tu não a vais conseguir comprar de volta. Ou seja, perdeste a peça que estimavas tanto e não tens a possibilidade de a recuperar.
 
Empréstimo
 
Não te assustes. Não precisas de vender as tuas jóias de família, nem o relógio do teu tetravô. As casa de penhores, não compram as tuas peças. Estas são utilizadas como garantia no empréstimo. Ou seja, os penhores avaliam as tuas peças e atribuem-lhe um valor, que te será emprestado, mediante uma taxa de juro. Toma nota, alguns penhores, cobram uma taxa para fazer esta avaliação mesmo que decidas não avançar com a penhora dos teus objetos.

Informa-te sobre as taxas associadas ao empréstimo. A lei estipula uma taxa limite para bens em ouro, prata e jóias e uma outra para os restantes bens. 
 
Prazo do empréstimo
 
A tua penhora tem a duração mínima de apenas de um mês. Se a situação que te levou ao pedido do empréstimo ficou resolvida, não precisas de prolongar o prazo. No entanto, o empréstimo poderá ser renovado mensalmente até um máximo de dois anos.
 
Amortização
 
Imagina que este mês estás financeiramente mais confortável. Tens a possibilidade de amortizar parte do valor do teu empréstimo. 
Antes de o fazeres, confirma com o teu penhor as condições associadas à amortização. Valida se existe um valor ou uma percentagem mínima que tens de entregar. Informa-te em que moldes decorrerá o restante período do empréstimo. Depois de teres estas respostas, analisa se a amortização é vantajosa para tua condição financeira.
 
Atrasos ou falta de pagamento
 
Estes são os dois cenários que queres evitar a todo o custo. Por isso, antes de avançar com a penhora e com o empréstimo deves pensar bem.
Avaliar se tens capacidade financeira para assumir este compromisso. O incumprimento não é vantajoso para nenhuma das partes. 
Se por alguma eventualidade te atrasares no pagamento da mensalidade, ser-te-ão cobrados juros de mora. Valida esta questão e quais a condições, no momento em que estiveres contrair o empréstimo.
Outra questão que tens de ter bem presente, é que se falhares o pagamento três meses consecutivos, o teu penhor informar-te-á que o objeto vai ser colocado à venda.
 
Casa de penhores de confiança
 
Deves ter muita atenção no momento de escolheres onde vais penhorar os teus bens. Certifica-te que a loja está licenciada, que tudo é feito segundo a lei, para evitares surpresas desagradáveis no futuro.
A Imprensa Nacional Casa da Moeda, é a instituição que licencia as casas de penhor e lhes confere a idoneidade para poderem avaliar e negociar.
As casas de penhores têm um seguro válido para o seu recheio. Para o caso de existir algum contratempo, como um assalto, um incêndio ou a perca do objeto.
categorias relacionadas
sobre o autor
Mara Domingues
Redação e criação de conteúdos

O meu nome é Mara, muitas vezes confundido com Maria, Marta ou até mesmo Lara.
E onde entra a escrita na minha vida?...

ver perfil
62
Publicações
Experiência relacionadas