Mara Domingues29 Jan 2020

Estradas e Pavimentos das ruas em Portugal

Todos os caminhos vão dar a algum lado

As gerações mais antigas ainda terão muito presente. como era antigamente, o estado das ruas com o passar dos carros e com as mudanças de estação.
Claro que nessa época a quantidade de carros que circulavam era muito menor à dos dias de hoje, mas os impactos eram grandes.
 
Um conjunto de lama e pó

As estradas de terra batida, eram tão más de inverno como de verão. Nos dias frios de chuva, transformavam-se em verdadeiros tapetes escorregadios de lama, que arrastávamos para todo o lado, quer fossemos de carro, quer andássemos a pé. 
As poças que se formavam eram dignas de dar banho a quem, tinha o azar de por ali passar ao mesmo tempo de um carro.
No tempo quente de verão, a terra secava de tal maneira, que cada automóvel que passasse deixava atrás uma nuvem de pó no ar. Caminhar por estas estradas, se é que assim se podem chamar, era como atravessar o deserto.
 
Tapete de pedrinhas
 
Em algumas localidades, as ruas eram cobertas por pedrinhas muito pequenas que tinham com o objetivo evitar o lamaçal do inverno e o pó no ar de verão.
Porém, esta solução, está longe de ser a ideal.
Como o passar dos carros, algumas pedrinhas acabavam por saltar. O que podia revelar-se muito perigoso. Por um lado, a probabilidade de baterem num vidro do carro, deixando-o estilhaçado e por outro a possibilidade de acertar em alguém que estivesse a passar na rua naquele momento.
 
Uma rua portuguesa com certeza
 
Pelas ruas do nosso país de norte a sul, incluindo ilhas, encontras o pavimento mais português que pode existir.
A calçada portuguesa.
O que possivelmente não sabes é que a origem da calçada portuguesa se deve a um rinoceronte. 
 
Ganga
 
O rei D. Manuel I, decidiu organizar um desfile para comemorar o seu aniversário, que passaria pela atual Rua Nova do Mercadores, em Lisboa e que à época tinha o nome de Rua Nova dos Ferros. 
E não estava disposto a deixar o seu animal de estimação fora das celebrações, um rinoceronte branco, de nome Ganga, e que sairia para a rua ornamentado a preceito.

O grande problema é que a rua estava coberta de lama, e o seu bichinho, iria sujar tudo e todos com as suas patorras.
Para contornar esta situação, o rei mandou cobrir a rua com pedras de granito, vindo da região do Porto. Apesar de ainda não ter a beleza que, a calçada portuguesa ganhou, o resultado final agradou a todos.

Rapidamente a moda, espalhou-se pela cidade de Lisboa. 
Castelo de São Jorge, Praça do Rossio entre outros locais, foram pavimentados com as pedras da calçada com um estilo de desenho mais perto do que encontramos hoje.
De Lisboa para o resto do país foi um instante.
E apesar de requer alguns cuidados de manutenção, nomeadamente as que têm transito a circular, a verdade é que representa uma enorme riqueza da nossa cultura.
 
Estradas forradas a preto e branco
 
Apesar da sua beleza inequívoca, não seria possível termos todas as estradas do país cobertas com pedra da calçada.
Quer sejam estradas locais, nacionais, autoestradas ou pistas de aeroporto, é absolutamente essencial que estejam bem pavimentadas. Não se trata de uma questão estética, mas sim de segurança.
 
Quanto melhor forem as condições do pavimento menor é a probabilidade de existirem acidentes na estrada. 
Uma estrada sem manutenção é um enorme risco para todos. 
Buracos que danificam pneus, jantes e amortecedores. 
Alcatrão já gasto que não garante aderência do carro à estrada, principalmente em dias de chuva. As pequenas partículas de areias e outros materiais que se vão soltando do pavimento e que podem acertar nos vidros dos carros.
Estes são apenas alguns dos problemas que podemos vir a ter quando as estradas não estão nas melhores condições.
 
Não chega só pavimentar, há que fazer manutenções. Principalmente em estradas com grande movimento e que se desgastam muito rapidamente.
 
Por vezes, ficamos aborrecidos, porque volta não volta, estão a ocorrer obras nas estradas, nas quais passamos todos os dias. Principalmente nas autoestradas. À primeira vista é uma situação chata, que te transtorna a rotina do dia a dia, porém lembra-te que é fundamental que estas aconteçam. É para a tua segurança. 
 
Para isso, existem empresas certificadas como a Arpavimentos Lda, em Almargem do Bispo, que conta com uma equipa de profissionais especializados em alcatrão, assentamento de lancil e de passeios e que só trabalham com os melhores materiais do mercado.
Esta equipa também é composta por calceteiros para manter a tradição da calçada portuguesa.
 
Pavimento ecológico
 
Com a situação ambiental atual, estão a ser procurados e testados, pavimentos para estradas com materiais mais amigos do ambiente.
Uma das possibilidades é o pavimento feito com nas borrachas dos pneus que já não estão em condições. 
Esta solução tem duas grandes vantagens.
Uma é resolver o problema do armazenamento dos pneus velhos. Hoje em dia trocamos de automóvel com uma frequência muito mais recorrente do que no tempo dos nossos pais ou avós. Por isso passou a existir mais material vindo dos carros velhos, disponível. Esta opção permitiria reciclar esses pneus.
 
A outra vantagem seria visível na conservação das estradas. Ao utilizarmos este tipo de borracha no pavimento, os danos resultantes do uso e do passar do tempo diminuem. As aberturas e buracos nos pavimentos, tornar-se-iam menos frequentes. Logo iria existir uma poupança financeira e de matérias na manutenção das estradas.
Categorias Relacionadas
sobre o autor
Mara Domingues
Redação e criação de conteúdos

O meu nome é Mara, muitas vezes confundido com Maria, Marta ou até mesmo Lara.
E onde entra a escrita na minha vida?...

ver perfil
62
Publicações
Experiência relacionadas