Miguel Arranhado15 Nov 2019

bancos

Como poupar dinheiro com o teu Banco

Poupa mais de 200 euros por ano no teu banco


Vamos ser sinceros: hoje em dia, na sociedade que temos, é impossível termos uma vida funcional sem os bancos. É impossível vivermos sem uma conta à ordem, com todas as vantagens e todos os benefícios que tem. Contudo, a nossa relação com a banca é um misto de amor-ódio, uma vez que, quando precisamos de dinheiro, os bancos são os nossos melhores amigos, mas rapidamente passam a ser o nosso maior inimigo, assim que temos de pagar comissões e prestações bancárias. 

Para facilitar a tua relação com os bancos, deixamos-te aqui algumas ideias de como podes poupar dinheiro mantendo uma relação saudável com a banca.

Para que precisas de um banco?


Antes de mais, necessitas de compreender para que precisas de criar uma relação com um bancos

É normal teres contas diferentes em bancos diferentes, sendo que cada uma tem um objetivo diferente. Podes ter uma conta para usares nas tuas utilizações do dia-a-dia, como compras e pagamento de contas de casa, privilegiando um banco que não cobra comissões, e ter outra conta noutro banco para teres as tuas poupanças, optando por um banco com uma oferta ampla e diversificada.

Escolher o melhor banco para ti


É verdade que, quando olhamos para a oferta bancária, parece tudo igual e que não existe diferenciação alguma na oferta dos bancos no que toca às Contas a Ordem. Também é verdade que a banca mais tradicional, composta por bancos como o Santander, o BPI, o BCP, a CGD e o Bankinter, ainda necessita de mudar muito para poder criar uma oferta mais diferenciadora e variada. 

No entanto, independentemente de optares por um banco mais recente ou um banco mais tradicional, tens de pensar nas vantagens que existem em manteres uma relação de longo prazo não só com o teu banco, mas também com o teu gestor de conta. Um banco não serve apenas para tratar das despesas do teu dia-a-dia ou pagar contas ao fim do mês. Inevitavelmente, terás um dia de precisar de um crédito para fazer uma grande compra, como um carro ou uma casa, e convém teres criado uma relação de confiança para poderes ter as melhores condições.

Nota é que a estabilidade da relação não é sinónimo de aceitar pagar mais por um produto ou serviço que se encontra mais barato noutro banco. Esta relação tem de ser benéfica para ambos os lados.

Corta nas comissões bancárias ao máximo


Hoje em dia, a oferta bancária é muito alargada e não faz grande sentido pagar comissões bancárias sobre operações ou serviços que não são usados. 

Os bancos com uma abordagem mais tradicional continuam a insistir na estratégia de aumentar comissões por diversos serviços, quando existem bancos que não te irão cobrar comissões por estes mesmos serviços. 

Assim, antes escolheres o banco onde irás abrir conta, tenta perceber qual o banco que cobra menos comissões e oferece o melhor serviço para poderes abrir a tua conta à ordem. Se já tiveres uma conta aberta, talvez compense também veres qual é o banco mais amigo da tua carteira e mudares a tua conta.

Ter um Cartão de Crédito pode não ser boa ideia


É unânime o reconhecimento de que os cartões de crédito são um negócio bastante rentável para os bancos. Porém, se analisares bem a oferta que é feita pelos bancos neste serviço, irás reparar que não existem grandes benefícios para os clientes bancários em terem um cartão de crédito.

Para um cartão de crédito ser competitivo e vantajoso para um cliente deveria ser isento de anuidade, ter uma taxa de juro competitiva, oferecer seguros grátis e ter associado um conjunto de descontos e ofertas em parceiros.

Como o cartão de crédito perfeito não existe, deves pesquisar bem e encontrar o cartão de crédito que cumpra o maior número de vantagens para ti. Faz uma lista e analisa bem os Prós e Contras de cada cartão.

Reduz ao máximo nos juros


Um outro fator que pode contribuir para poupares na tua relação com o teu banco é estudares como podes reduzir os juros com o teu empréstimo ou com o cartão de crédito. 

Para o fazeres, é essencial que consigas compreender bem os vários tipos diferentes de crédito que existem e o que os diferencia entre si. Depois de perceberes bem a oferta que existe, terás apenas de procurar alternativas que te permitam poupar mais, quer seja através de um crédito consolidado ou da mudança do teu crédito habitação para um banco com taxas mais baixas e que não te obriguem a ter tantos serviços associados ao teu crédito.

Faz investimentos mais arrojados


Quando olhamos para as formas mais tradicionais de investimento, é notório que as taxas de juro para os depósitos a prazo encontram-se demasiado baixas para serem consideradas um bom investimento. Com a exceção de algumas campanhas promocionais para depósitos a prazo, as taxas não compensam. 

Por essa razão, têm surgido cada vez mais outras formas de investimento, que podem acabar por se revelar numa alternativa bastante interessante para as tuas poupanças. Já ouviste falar no Raize e do seu sistema de empréstimos a empresas? Tal como esta plataforma, existem muitas outras à distância de um clique que também te podem oferecer oportunidades semelhantes, quer seja no investimento imobiliário, no empréstimo a particulares ou noutras formas de rentabilizar as tuas poupanças.

Muda!


No que toca à tua relação com a banca, é importante perceberes que o importante é procurares sempre a informação certa, pesquisares bem e saberes negociar as melhores alternativas. Depois, só tens de ter a coragem de dar o passo em frente e mudares para melhor. Quem fica a ganhar és tu, que ficas mais perto de alcançares os teus objetivos financeiros, e a tua carteira. 
Categorias Relacionadas
sobre o autor
Miguel Arranhado
Consultor de Marketing Digital

Já fui chamado por muitos nomes. “Editor”, “Chato”, “Chefinho”, ou (o meu preferido) “Mini-Chefe”. Sou amante das...

ver perfil
45
Publicações
Dicas relacionadas