Nadine Gomes28 Jan 2020

A fascinante profissão de detetive

Qualquer criança já sonhou em ser detetive ou agente secreto na sua vida adulta. Mas, será que esta profissão é assim tão empolgante quanto é descrita nos filmes e séries? Vamos lá espreitar os prós e contras de uma carreira que passa despercebida, mas que ganhou muitos fãs para a resolução de conflitos.

É apaixonado/a por filmes e séries com suspense e de investigação? Consegue perceber sempre quem é o culpado ou assassino a meio do filme? Então, talvez nasceu para integrar os serviços de segurança, e mais precisamente, ser um detetive.

Mas, não se esqueça que, apesar de ser uma profissão em alta nos dias de hoje, ser detetive é uma tarefa que requer muitas habilidades mentais e físicas. De facto, tem um trabalho de investigação muito solitário e árduo, com horários exigentes, interrogatórios e, na maior parte das vezes, tem conhecimento de situações muito perturbadoras (mas que não podem afetar o seu bom senso). 

Por isso, se tiver interesse em ser detetive, pergunte-se antes de tudo: tenho capacidade para trabalhar sob pressão e conviver com situações perturbadoras? Tenho aptidões e força mental para resolver cada caso, sem haver repercussões na minha vida pessoal?
Se sim, siga o seu instinto e seja mais um detetive a resolver enigmas e ter aventuras inesquecíveis no seu dia-a-dia.

De facto, a procura por detetives tem sido cada vez maior. Basta abrir um jornal ou uma revista na secção dos serviços, e é impressionante o número de pedidos que existem: para solucionar casos de traição, localizar pessoas desaparecidas, desvendar casos de corrupção, etc.
Contudo, um detetive não é um oficial de justiça, não faz o que a polícia faz. Por exemplo, este profissional não tem acesso a registos do governo. Então, como é que faz?! Tem de estar no lugar certo à hora certa, e ter a capacidade de se 'disfarçar' e se adaptar ao ambiente sem suspeitas - o 'ver sem ser visto'.

Mas, quais as competências mais exigidas para ter sucesso nessa carreira? 
- saber entrevistar estranhos
- detetar mentiras
- conseguir anotar rapidamente todos os detalhes importantes
- ter noções de psicologia e comunicação assertiva, podem ser valências também

Para começar com esta carreira, é necessário realizar vários cursos que servem para perceber melhor esta profissão e as aptidões necessárias nos vários casos, além de treinos práticos.
Além disso, ter conhecimento das leis é fundamental, pois um detetive não pode invadir a privacidade dos outros ou colocar em risco o seu cliente.

Em termos de custos, o valor do serviço depende sempre da complexidade da situação, como do tempo para a investigação.
Um exemplo de detetive de renome: Detective António Correia. Outras referências aqui: Detetives.

Ficou com interesse nessa profissão? Vai investigar mais pormenores ou o caso ficou encerrado? Comente aqui!

Categorias Relacionadas
sobre o autor
Nadine Gomes
Freelancer Marketing Consultant

Comunicar é a ‘minha praia’, quer seja em meios mais institucionais ou mais informais. Adoro um bom filme, boa...

ver perfil
17
Publicações
Experiência relacionadas